taxa selic

Taxa Selic: entenda o que é e como afeta o seu bolso

O sobe e desce da taxa Selic chama cada dia mais atenção do mercado financeiro. Saiba que ela é muito importante e afeta diretamente o seu poder de compra. Aqui, vamos explicar como ela pode ajudar ou atrapalhar o seu sonho da casa própria, do novo carro ou mesmo a conta ao fazer compras no supermercado.  

Além isso, a taxa Selic pode melhorar ou dificultar os seus investimentos. Então, acompanhe com a gente as dicas simples e práticas para entender de uma vez por todas como ela funciona. Aprenda a usar essa variação ao seu favor.   

Leia também: Empréstimo para negativado: é possível conseguir?

O que é a taxa Selic? 

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia. Isso significa que todo o mercado financeiro está de olho nessa variação para aplicações financeiras. Ela é o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação. 

Sendo assim, para você ter uma ideia, a taxa Selic impacta diretamente em todas as taxas de juros do Brasil. Então, ela tem relação sim com os juros que você terá que pagar em um empréstimo, financiamento ou no rendimento das suas aplicações financeiras, por exemplo.

Como funciona a taxa Selic? 

Aproveite a oportunidade

💳 O BTG+ oferece benefícios e experiências únicas para quem quer um cartão cartão de crédito sem anuidade e que entende suas necessidades.

Solicite seu cartão!

Ela é a meta de inflação no Brasil. Desde o início, a ideia seria permanecer com a taxa Selic em 8%. Sempre, é claro, podendo variar dois pontos percentuais para cima ou para baixo. 

No entanto, ao longo dos anos a taxa Selic permaneceu, em média, 4,5% ao ano. Para você ter uma ideia, em 2020 a meta era de 4% ao ano. Para considerar que a economia e a atividade do Banco Central foram cumpridas, essa taxa real precisa finalizar o balanço do ano entre 2,5% a 5,5%.  

Todos os anos é definida uma média de taxa Selic. Ao longo do período, os órgãos tomam medidas econômicas para controlar essa variação e cumprir a meta estipulada. Assim, conseguem prever o poder de compra dos brasileiros e garantir o desenvolvimento previsto da economia do país.  

Quer saber como tudo isso impacta no seu dia a dia? Leia o conteúdo até o final que temos algumas dicas práticas. Não faça financiamentos, empréstimos e compras antes de ler a nossa informação.  

Leia também: Como funciona o PIX? Tire todas as suas dúvidas

Impactos no seu dia a dia 

A taxa Selic afeta o seu poder de compra. Com a redução, o seu dinheiro tem juros menor. Sendo assim, fica bem mais fácil para realizar um empréstimo, por exemplo. Dessa forma, com o dinheiro mais em conta, os produtos ficam mais acessíveis, você compra mais e a inflação sobe.   

Mas quando a taxa Selic sobe, os juros de empréstimos, cartões e financiamentos ficam mais caros. Sendo assim, é mais complicado fazer aquisições e, pela baixa procura nos comércios em geral, a inflação cai pela falta de compradores. 

Aproveite a oportunidade

💳 Você foi selecionado para ter um cartão de crédito que não cobra anuidade, com limite de até 7 mil reais e que aprova na hora: abra uma conta gratuita no Banco Pan!

Quem decide o valor 

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) é quem decide sobre a taxa Selic. A reunião acontece a cada 45 dias. Nesse período eles realizam um acompanhamento do mercado. A proposta é tomar medidas para que a taxa Selic definida para o ano se mantenha.  

Então, depois da reunião é sempre decidido se a taxa aumenta, diminui ou se mantém estável. As decisões são baseadas em indicadores financeiros do país. 

Toda essa ação para definir a taxa dá ao Banco Central o que se chama de “mercado aberto”. Sendo assim, para regular a taxa ele compra ou vende títulos públicos federais. É o instrumento utilizado para manter em ordem a porcentagem estipulada. Afinal, por meio dessa ação é possível aumentar ou diminuir no mercado a oferta de títulos e controlar os juros.

Oscilação da taxa Selic  

Continua após a publicidade

Em março de 2021, a taxa subiu de 2% para 2,75% ao ano. A previsão é que a Selic encerre o ano de 2021 entre 5,5% e 6%. Essas seriam as maiores taxas desde outubro de 2019.  

Leia também: Empréstimo pessoal para negativado: 3 entidades que oferecem

Investimentos impactados  

Toda alteração na taxa Selic deixa um impacto nos investimentos. O aumento dela beneficia, principalmente, as aplicações de renda fixa.  Afinal, a remuneração é baseada em juros.  

Sendo assim, com o cenário de aumento da taxa em março de 2021, vale a pena investir nos títulos públicos do Governo Federal, nos tradicionais CDBs emitidos pelos bancos, nas letras de crédito, nas debêntures, entre outras opções. 

 No caso da poupança, é importante levar em consideração a seguinte regra: 

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano: a poupança rende 0,5% sobre o valor depositado + Taxa Referencial; 
  • Se essa taxa estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano: a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial. 

Entendeu como essa taxa impacta no seu dia a dia e também na escolha dos investimentos? Temos muitos outros conteúdos para apoiar a sua vida financeira no blog Meu Portal Financeiro, acompanhe! 

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
planejamento financeiro pessoal

Quer otimizar o planejamento financeiro pessoal? Entenda como!

Próximo
quanto rende 100 mil na poupança

Quanto rende 100 mil na poupança? Veja se o investimento vale!

Posts Relacionados
Total
0
Share