💳 O Banco BV oferece benefícios únicos em seu cartão de crédito sem anuidade, aceito em milhares de estabelecimentos pelo mundo: abra uma conta gratuita e solicite o seu!

Risco Operacional

O conceito de risco operacional não é novo. As empresas estão cientes desse tipo de problema há anos.

O conceito de gestão de riscos, também conhecido como risco operacional, tornou-se um processo eficaz de preservação dos recursos de uma empresa.

A globalização e a desregulamentação dos serviços financeiros adicionaram complexidade adicional ao mundo dos negócios. Esses fatores tornaram mais difícil determinar o risco e o custo dos riscos operacionais.

Este artigo explora algumas das melhores práticas no gerenciamento de risco operacional.

Gerenciamento de riscos

Existem dois tipos básicos de gerenciamento de risco: alta frequência, baixo impacto (HFLI) e baixa frequência, alto impacto (LFHI). Os eventos HFLI são bastante comuns e os dados desses eventos geralmente podem ser obtidos de sistemas de auditoria interna do banco.

Os eventos de LFHI, por outro lado, são raros. Portanto, os bancos devem complementar seus dados com dados de outras empresas. Além de identificar as causas dos riscos, o gerenciamento de risco operacional deve identificar e gerenciar os processos que resultam em perdas.

Um componente-chave do gerenciamento de risco operacional é a capacidade de medir o valor de sua organização.

O método mais comum é medir o risco operacional com um questionário. Este questionário é baseado no valor dos ativos e passivos para toda a organização.

O processo de avaliação de risco é baseado em estatísticas, portanto, a primeira avaliação de um risco operacional provavelmente será superestimada.

Essas informações podem ajudar as empresas a alterar suas alocações globais de capital, resultando em uma avaliação mais precisa de seus riscos gerais.

Análise de risco operacional

Uma análise de risco operacional visa identificar e avaliar a probabilidade de risco decorrente das pessoas e processos de uma organização.

Essas informações são coletadas por meio de métodos qualitativos e quantitativos e fazem parte da abordagem do scorecard.

A identificação inicial dos riscos resulta em um mapa teórico das atividades da empresa. Em seguida, é validado pela experiência e as falhas são avaliadas em relação aos valores das perdas incorridas.

Por fim, um banco de dados histórico de perdas incorridas por riscos operacionais é utilizado para determinar quais práticas são mais suscetíveis.

Além dos riscos internos e externos, o risco operacional é importante para qualquer negócio.

O erro humano e a fraude podem prejudicar a reputação e os resultados de uma empresa. Uma avaliação de risco da operação também identificará os riscos e custos relacionados às pessoas.

Além disso, ajudará as empresas a entender quais processos são mais importantes para um produto ou serviço específico. Assim, o gestor de risco operacional poderá decidir quais ferramentas são necessárias para monitorar e analisar esses riscos.

Como regra, os riscos operacionais não são direcionados à receita e não são diversificáveis. Como tal, não podem ser eliminados ou reduzidos.

No entanto, eles podem ser monitorados e controlados, e são reportados à alta administração e ao conselho.

Ao analisar e avaliar o risco operacional, uma organização pode garantir que suas operações sejam o mais seguras possível.

Os resultados dessas avaliações permitirão melhorar a reputação da empresa e aumentar sua lucratividade.

Termos relacionados

NYSE

A Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) é uma bolsa de valores dos Estados Unidos. É a maior bolsa do mundo, com uma capitalização

Ler mais

GAP

Um “gap” ocorre quando ocorre uma mudança repentina no preço entre os pregões, principalmente devido a um fator fundamental ou técnico. Esses eventos geralmente causam

Ler mais

Déficit

Quando há uma oferta insuficiente de algo essencial, é chamado de “déficit”. Um déficit é um saldo negativo em uma organização, indivíduo ou governo. Isso

Ler mais
João Santos

João Santos

Produtor de conteúdo especialista em finanças e investimentos, com uma bagagem de 10 anos atuando em PMEs.

Newsletter